Terceira edição da Primavera Copegam reforça compromisso do TJRN com a sustentabilidade

Provocar a reflexão sobre responsabilidade socioambiental é uma preocupação constante presente nas ações promovidas pela Comissão Permanente de Gestão Ambiental do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. Pensando nisso, o órgão realizou na manhã desta sexta-feira (21), a terceira edição da Primavera Copegam.

O vice-presidente do TJRN, desembargador Gilson Barbosa, deu início a solenidade destacando a necessidade do engajamento do Poder Judiciário em causas de relevância social. “Parabenizo a Copegam em incentivar a promoção do Plano de Logística Sustentável, que aproxima a Justiça das questões socioambientais e promove ações de conscientização”.

O evento faz parte do calendário sustentável do Judiciário potiguar e tem a finalidade de reforçar o compromisso do Poder Judiciário com a sustentabilidade, através de ações educativas que trabalham a conscientização socioambiental dos servidores, como o plantio de mudas e a promoção da venda de produtos feitos com material reciclado.

Coordenadora da Copegam, a juíza Fátima Soares explica que este ano a Primavera Copegam celebra a ampliação das instalações do órgão, com a inauguração da Sala Sustentável, que possibilitará a parceria com instituições de ensino. “A ampliação da nossa estrutura permite que, a partir de agora, possamos firmar convênios com escolas municipais e estaduais e parcerias com a comunidade acadêmica, tornando alunos e professores agentes multiplicadores dessa causa. O objetivo é mostrar que a Justiça também se compromete com o meio ambiente”.

O TJRN adota os preceitos que regem a Agenda Ambiental da Administração Pública (A3P), instituída pelo Ministério do Meio Ambiente, respeitando os critérios básicos da sustentabilidade: ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente viável.

Posse

Durante a abertura, a juíza Cinthia Cibelle tomou posse como coordenadora da Regional Oeste, com sede localizada em Mossoró. “Para mim, assumir a sede regional Oeste da Copegam é uma satisfação e um desafio. Além disso, é uma grande responsabilidade suceder a juíza Carla Portela, uma pessoa altamente capacitada. Nós temos que encarar esse desafio não só como integrantes dessa comissão, mas trazer isso para nossas casas. A cada ano o ser humano está antecipando a sobrecarga dos recursos naturais do planeta. Por isso, é urgente que nós intensifiquemos essas atividades não só no trabalho, como no âmbito pessoal. Precisamos repensar a nossa relação ética com o meio ambiente, com os animais, como o consumo desenfreado e o desperdício tem impactado negativamente”.

A magistrada destacou ainda que além de dar continuidade as ações iniciadas pela juíza Carla Portela, também pretende propor uma parceria entre a Copegam e a Universidade Federal do Semi Árido (Ufersa), visando projetos educativos na área.

Estiveram presentes no evento o juiz Gustavo Marinho, coordenador do Programa Novos Rumos da Execução Penal; o juiz auxiliar da Vice-PresidênciaEverton Amaral; Marília Dias, representante do Tribunal de Contas do Estado; e Ivoneide Araújo, presidente da ONG CEPAS, instituição parceira da Copegam.

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte - Praça 7 de Setembro, S/N, Natal/RN, 59025-300 - (84) 3616-6200