Juíza representa TJRN em evento nacional de valorização da magistratura

Com o tema "Juiz valorizado, justiça completa", o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realizou hoje (18) seminário do Programa de Valorização da Magistratura, que debateu propostas de políticas públicas que esclareçam a importância do trabalho do magistrado para a sociedade. A juíza auxiliar da presidência do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, Tatiana Socoloski, representa o TJRN no evento.

Entre os temas debatidos no seminário, estão mecanismos de suporte e apoio ao trabalho judicial, formação ética e teórico-prática dos magistrados e os fins da justiça, a visão social do Judiciário e a figura pública do magistrado e a comunicação dos tribunais. Ao final do evento, foram votadas proposições, nas quatro áreas técnicas, para a Valorização da Magistratura, que haviam sido elaboradas em encontros regionais realizados em 2012.

Para Tatiana Socoloski, uma sociedade livre e justa só existe, de fato, com o juízes fortes e independentes, o que só se alcança com a valorização profissional. "O não reconhecimento do valor da magistratura, engessa a produção profissional e intelectual de todo um grupo de profissionais formados para esse fim", afirma. "A pressão que vem do desconhecimento do trabalho dos juízes, o acúmulo de processos e o crescimento da demanda, além da ausência de auxiliares e magistrados em número insuficiente, são uma afronta a uma justiça independente e célere. Por isso, a importância deste evento, que busca construir saídas", ressalta a magistrada.

Atualmente, em todo o Brasil, 2 milhões de sentenças judiciais são proferidas por ano. No entanto, as más condições e o excesso de carga de trabalho têm feito crescer o número de juízes que pedem exoneração ou se aposentam precocemente para seguir outras carreiras. "O CNJ não deve ser visto como órgão onde se aportam reclamações contra o Poder Judiciário, mas dentro do seu Planejamento Estratégico, tem a missão de valorizar a magistratura", afirmou o desembargador Nino Toldo, presidente da Associação de Juízes Federais (Ajufe), a respeito da iniciativa.

Comunicar

A comunicação dos tribunais e magistrados com a sociedade contou com um painel específico, com a presença de representante das assessorias de comunicação de tribunais de todo o país. "A profissionalização da comunicação e a ação bem coordenada desse setor foram ressaltados no Evento. O Judiciário tem um papel fundamental na mudança do país, e esse papel passa pela comunicação, que pode e deve valorizar o papel do magistrado", afirmou a secretária de Comunicação Social do TJRN, Juliska Azevedo, presente ao evento.

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte - Praça Sete de Setembro, nº 34, Cidade Alta, Natal/RN, CEP 59025-300 - (84) 3616-6200